pixel
 
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

18.01.17
|
Enel Rio dá dicas de consumo de energia eficiente
Fonte: Portal Fator Brasil - 18.01.2017
Rio de Janeiro - Com as altas temperaturas do Verão e o consequente aumento do uso de aparelhos de ar-condicionado e ventilador, a Enel Distribuição Rio dá dicas de consumo eficiente de energia elétrica. Na estação em que o consumo de energia pode aumentar até 20%, em média, a distribuidora apresenta medidas simples que podem ser tomadas por consumidores para adequar o valor da conta de energia ao orçamento mensal e contribuir para o uso consciente da energia.

O aumento do consumo de energia também impacta diretamente o valor do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), um dos impostos cobrados na conta de energia. O ICMS varia de acordo com a faixa de consumo de energia no mês: quando o consumo mensal do cliente supera os 300 kWh, a alíquota de ICMS que incide sobre a conta passa de 18% para 29%, dependendo da faixa de consumo. Além disso, também incidem sobre a conta de energia outros tributos, como PIS e COFINS.

Se o calor é insuportável, a dica é compensar o consumo em outros equipamentos, como, por exemplo, desligando da tomada aparelhos que não estão sendo usados e lâmpadas quando não se está no cômodo. “Para se ter uma ideia, em uma residência, podemos dizer que cada grau centígrado a mais na temperatura ambiental implica em um aumento aproximado de 3% no consumo mensal de energia elétrica”, alerta Odailton Arruda, responsável pela área de Eficiência Energética da Enel no Brasil. Além disso, é importante lembrar da necessidade de fazer o isolamento térmico do ambiente, evitando deixar janelas e portas abertas sem necessidade, o que aumenta o consumo de energia do ar condicionado.

Dicas simples como usar a máquina de lavar sempre na capacidade máxima, passar roupas apenas uma vez por semana, não deixar a geladeira aberta por muito tempo e não guardar alimentos quentes no refrigerador, por exemplo, podem contribuir para um consumo mais eficiente. Utilizar mais a luz do sol, evitando acender lâmpadas durante o dia ou ainda reduzir o tempo do banho no chuveiro elétrico são também exemplos de ações que, ao final do mês, representam uma queda considerável no valor da conta de energia.

Economia desligando aparelhos da tomada — Além de oferecer mais segurança, desconectar os aparelhos das tomadas resulta em economia de energia. De acordo com o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), “o consumo de aparelhos em stand-by pode representar até 12% do consumo doméstico de energia”. Para aqueles que quiserem deixar uma lâmpada acesa, uma solução é a instalação de uma eficiente (fluorescente compacta ou a Led ) com baixa potência, podendo ter no circuito de iluminação uma redução de 75% a 85%, respectivamente, em relação à lâmpada incandescente.

Odailton Arruda destaca a economia obtida desligando a TV da tomada durante dez horas por dia, evitando gasto com a luz de stand-by: “Considerando um televisor de 40 polegadas, com uma potência de stand-by de 5W, ao evitar o consumo de energia durante dez horas por 30 dias de uso, o consumidor evita pagar por cada aparelho de TV R$ 1,37 por mês a mais na sua conta, tendo como base o valor médio do kWh residencial com impostos da Enel Distribuição Rio, para quem consome acima de 300 kWh/mês. Para quem consome até 300 kWh/mês, a economia é de R$ 1,09 ao mês”.

Dicas para escolher o ar-condicionado adequado para sua casa — A Enel Distribuição Rio dá dicas para que o consumidor escolha o aparelho ideal para o tipo e tamanho de cada residência. Multiplica-se por 600 BTU para cada metro quadrado. Para cada pessoa adicional soma-se 600 BTU (a primeira pessoa não é contabilizada). Além disso, cada equipamento eletrônico soma 600 BTU. “Para o cálculo do aparelho que será utilizado em uma sala com 30m² para três pessoas com dois computadores, a conta que deve ser feita é a seguinte: 30m² x 600 BTU + 1200 BTU (duas pessoas, pois a primeira não conta) + 1200 BTU (dois computadores) = 20.400 BTU”, destaca Odailton. Além disso, se o cômodo ficar diretamente exposto ao sol, aconselha-se considerar 800 BTUs para cada medida.

Odailton reforça a importância de utilizar o ar-condicionado de forma correta, já que o aparelho acaba se transformando em um dos vilões da conta de energia no verão. “Em média, um aparelho de 7.500 BTU possui uma potência em média de 1.400 watt. Ligado oito horas por dia, nos trinta dias do mês e considerando um valor médio de tarifa residencial com impostos da Enel Distribuição Rio, para quem consome acima de 300 kWh/mês, o cliente pagará R$ 286 só pelo ar-condicionado.”, ressalta Odailton. Se o ar-condicionado for de 10 mil BTU, esse valor cresce para aproximadamente R$ 381 (para quem consome acima de 300 kWh/mês). No caso de um aparelho de 15 mil BTU, o consumidor que consome acima de 300 kWh/mês, pagará R$ 572 apenas pelo consumo relativo ao aparelho.

Usando como base um ar-condicionado mais usual numa residência, para um quarto de um casal, de 10 mil BTU, e considerando que esse casal use o aparelho ligado erroneamente no máximo, o consumidor pode conseguir até 5% de economia por aparelho, ajustando o termostato para uma temperatura agradável de 23°. Esse ajuste representaria uma economia de até R$ 28,60 por mês por aparelho, usando como base a tarifa residencial com impostos da Enel Distribuição Rio, para quem consome acima de 300 kWh/mês.

Troca de lâmpadas incandescentes — O uso de uma lâmpada LED de 10W no lugar de uma incandescente de 60W representa uma economia de, aproximadamente 9 kWh/mês por ponto de luz, o que equivale a R$ 7,66. Já a troca de uma incandescente de 60W por uma fluorescente compacta de 15W representa uma economia de 8,1 kWh/mês (R$ 6,86) por cada ponto. “Apesar de ser um pouco mais cara, a lâmpada LED dissipa menos calor e tem uma vida útil mais longa, sendo, portanto, mais econômica e eficiente”, conclui Odailton.

Esta notícia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas