pixel
 
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

05.12.16
|
Pesquisa mostra que 82% dos executivos pretendem aumentar investimentos em eficiência energética no Brasil
Fonte: Procel Info - 05.12.2016
São Paulo - O Indicador de Eficiência Energética da Johnson Controls de 2016, pesquisa com mais de 1.200 instalações e executivos de gestão de energia nos Estados Unidos, Brasil, China, Alemanha e Índia, mostra que o interesse e o investimento na eficiência energética alcançaram nível recorde.

No Brasil, 94% dos entrevistados disseram que suas organizações estão prestando mais atenção à eficiência energética hoje do que há um ano, com 82% antecipando o aumento dos investimentos em eficiência energética e energia renovável nos próximos 12 meses. Em comparação, 88% dos entrevistados brasileiros em 2013 relataram prestar mais atenção à eficiência energética e 57% haviam planejado aumentar os investimentos.

Ainda no Brasil, 35% dos entrevistados estão dispostos a pagar mais para o espaço em um edifício verde certificado, em comparação com 29% dos entrevistados em 2013. Além disso, 37% dos entrevistados no Brasil construíram seu espaço de locação para padrões elevados de desempenho, em comparação com 26% em 2013.

Globalmente, embora a redução de custos continue a ser o principal motivo do investimento, as organizações também estão considerando cada vez mais a segurança energética, o cliente, atração de funcionários, redução de gases de efeito estufa, melhora da reputação, política do governo e expectativas dos investidores na tomada de decisões de investimento. Os resultados da pesquisa mostram que 64% das organizações norte-americanas têm agora uma meta interna ou declararam publicamente redução de carbono, em comparação com 41% em 2013.

“A eficiência energética é o centro de uma grande transformação dos nossos edifícios, sistemas de energia e infraestrutura urbana”, observa Bill Jackson, presidente de Building Efficiency da Johnson Controls. “O investimento em edifícios inteligentes, sustentáveis e resilientes é a chave para o aumento da eficiência urbana e entrega de seus muitos benefícios sociais, ambientais e econômicos.”

Assim como das outras vezes, os entrevistados globais relataram falta de financiamento, reembolso insuficiente, incerteza da poupança e falta de conhecimentos técnicos como as barreiras mais significativas para o investimento. De acordo com a pesquisa, as organizações que operam carteiras maiores de edifícios são mais propensas a usar capital interno para investimentos e possuem duas vezes mais probabilidade de obter financiamento externo ou usar contratos de serviços de energia para fazer melhorias de eficiência energética.

Organizações com a maioria de suas instalações localizada em áreas urbanas são mais propensas a investir na construção inteligente e em tecnologia energética. Na verdade, 64% das organizações em áreas urbanas têm investido na construção de sistemas de gestão, enquanto mais de 50% têm investido na integração de sistemas de gestão da construção com iluminação, segurança, seguro de vida ou outros sistemas. Além disso, 39% das organizações em áreas urbanas têm investido em energia renovável local e 24% em não-renovável de geração distribuída. Estas organizações também são mais propensas a investir em armazenamento de energia e exigir resposta tecnológica.

Realizada pela primeira vez em 2007, a pesquisa do Indicador de Eficiência Energética (EEI 2016) consultou líderes de energia e gestão de instalações sobre os investimentos atuais e os planejados, principais impulsionadores e barreiras organizacionais para melhorar a eficiência energética em todas instalações. Este ano, a empresa pesquisou 1.248 executivos tomadores de decisão dos Estados Unidos, Brasil, China, Alemanha e Índia representando organizações comerciais, institucionais e industriais com carteiras de tamanhos variados em áreas urbanas, suburbanas e rurais. A síntese da pesquisa está disponível para consulta neste link.

*Com assessoria de imprensa
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas