pixel
 
pixel
pixel
cadastro | dúvidas | fale conosco | links | mapa do site  
pixel
pixel
Busca:
pixel
pixel
pixel
pixel

Áreas Temáticas

Resultados do Procel

Selo Procel Edificações

Pesquisa de Posse e Hábitos

Potencial de EE para Indústria

Eficiência nas escolas

Aquecimento solar de água

Dicas
  Você está em: Procel Info »  Notícias e Reportagens »  Notícias
Notícias
voltar

19.09.16
|
Energia elétrica cara incentiva consumo consciente
Fonte: Bem Paraná - 18.09.2016
Paraná - Um projeto importante, conduzido pela Aneel e por 11 concessionárias de distribuição de energia elétrica e que prevê a participação do comércio, do poder público, da indústria e de condomínios residenciais e empresas agrícolas, começou a ser oferecido aos consumidores finais de energia elétrica agora no mês de setembro. Desde que utilizem força motriz – isto é, motores elétricos – empreendimentos dessas atividades podem se candidatar a bônus para troca de motores antigos por novos: uma melhoria capaz de reduzir a conta de energia elétrica e gerar economia de 25 % no consumo.

O percentual de bônus varia de distribuidora para distribuidora. As concessionárias que oferecerão bônus para a troca são: CPFL Paulista, CPFL Piratininga, RGE, Coelba, Celpe, Cosern, Copel, Elektro, Celesc, Cemig e Eletropaulo. A Coelba, por exemplo, pretende conceder bônus de até R$ 22.157,00 e disponibilizará R$ 2,6 milhões em recursos. A Celpe, que pertence ao mesmo grupo da Coelba e Cosern (Neoenergia) repetirá os valores da Coelba. O montante oferecido pela Cosern será de R$ 750 mil. Na Celesc, o valor do bônus será fixo por potência do motor e a disponibilidade de recursos chega a R$ 10 milhões.

Na indústria, os motores representam a maior parte do consumo de energia – de acordo com Ministério de Minas e Energia (MME), o setor consome 43,7% de toda energia elétrica nacional e a força motriz em operação usa 68% dessa energia elétrica, sendo 30% consumida por motores elétricos –, muito em função da prática de recondicionamento, que torna os motores antigos menos eficientes.

Segundo a Abraman (Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos), os motores utilizados no Brasil têm idade média de 17 anos. Essa defasagem revela a cultura brasileira de reformar motores ao invés de trocá-los por novos. Para se ter uma ideia desse volume, hoje existe uma equivalência no número de motores novos e reformados. Isso é algo extremamente preocupante, porque estima-se que a perda de eficiência energética a cada reforma seja de 3% e é comum um motor ser recondicionado mais de uma vez, aumentando o custo operacional e o desperdício de energia elétrica.

Os motores de alto rendimento, com maior condutividade elétrica, diminuem perdas de energia e ainda têm a vantagem de uma vida útil maior, se comparados aos motores convencionais. A substituição de motores elétricos antigos por motores premium, de alta performance, com maior presença de cobre, vai diminuir o peso da fatura de consumo, trazer aumento da produtividade e queda dos custos de manutenção.

Ainda em junho passado, antecipando a chamada das distribuidoras junto aos consumidores para apresentação de projetos e a captação de bônus oferecido pelas concessionárias de energia, a Eletrobrás e o ICA (por meio do Instituto Brasileiro do Cobre - Procobre) elaboraram um guia técnico sobre motor premium. O guia apresenta como selecionar o melhor motor para cada atividade e as formas de operação que permitem ampliar a sua eficiência, confiabilidade e durabilidade.

A exemplo do motor, a aquisição de equipamentos não pode ser uma escolha baseada apenas no menor preço, sem levar em conta a vida útil do bem, o custo de manutenção, a sustentabilidade - só para citar alguns fatores. A economia de recursos que o motor premium traz, por si só, já justificaria a renovação dos equipamentos. O investimento em eficiência energética é mais barato do que qualquer outro em produção de fonte de energia. A iniciativa da Aneel, por meio das distribuidoras de energia, é louvável e o consumidor final precisa estar atento para se valer dessa oportunidade.

Glycon Garcia é engenheiro eletricista e diretor executivo do Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre), instituição sem fins lucrativos que faz parte da International Copper Association (ICA)

Esta noticia não é de autoria do Procel Info, sendo assim, os créditos e responsabilidades sobre o seu conteúdo são do veículo original, exceto no caso de notícias que tenham necessidade de transcrição ou tradução, visto que se trata de uma versão resumida pelo Procel Info. Para acessar a notícia em seu veículo original, clique aqui.
  
Veja aqui a lista completa
Imagem para contabilização de acessos a páginas
Envie a um amigo
Imprimir
pixel
Imagem para contabilização de acessos a páginas